Sespa inaugura terceira Residência Terapêutica de saúde mental

saúde mental

Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 22/01/2016 20:05:00

Nesta sexta-feira, 22, foi inaugurada a terceira Residência Terapêutica de saúde mental, que acolheu os últimos 13 pacientes residentes da atual Unidade de Reabilitação Psicossocial (URPS), antigo CIASPA. Por meio da Coordenação Estadual de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas, o Chá de Casa Nova aconteceu na própria residência, localizada na avenida Almirante Barroso, na passagem Gama Malcher. Assim, o Estado, vira a última página da história de existência de equipamentos psiquiátricos e torna-se o segundo estado brasileiro a banir as práticas manicomiais de exclusão social. Um marco importante na história da psiquiatria do Pará, que se encontra em consonância com os princípios da Reforma Psiquiátrica Brasileira.

A Residência Terapêutica, novo espaço da morada dessas pessoas, está atrelada ao CAPS Renascer que dará o apoio técnico e terapêutico. O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) é composto por 8 psicólogos, 6 enfermeiros, 4 terapeutas ocupacionais, 21 técnicos de enfermagem, 2 nutricionistas e 4 assistentes sociais, coordenado por Luciano Pereira, responsáveis pela casa.

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) vem trabalhando para dar continuidade ao processo de reintegração social de pacientes com transtornos mentais. Para a coordenadora estadual de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas da Sespa, Marilda Couto, a iniciativa é um marco para o Estado, ao mostrar que o Pará está caminhando cada vez mais para o processo de reforma psiquiátrica. “Essa casa encerra os hospitais psiquiátricos do estado. Aqui eles vão poder exercer a sua cidadania e conviver na comunidade com ajuda de cuidadores”, disse.

As residências terapêuticas são casas destinadas a pessoas com transtornos mentais, que permaneceram em longas internações psiquiátricas e impossibilitadas de retornar as suas famílias. A iniciativa foi  instituída pela Portaria nº 106, do Ministério da Saúde, em fevereiro de 2000, e faz parte da Política de Saúde Mental do Ministério da Saúde. Com essa medida, o leito psiquiátrico é descredenciado do Sistema Único de Saúde (SUS) e os recursos financeiros que o mantinham são realocados para os fundos financeiros estaduais ou municipais, para fins de manutenção dos serviços residenciais terapêuticos.

“Essa é a terceira casa que o Estado inaugura. A primeira fica no bairro da Marambaia e a segunda em Icoaraci. Hoje essas pessoas terão uma residência terapêutica, onde poderão morar e cuidar de sua saúde”, disse a diretora de Política de Atenção Integral à Saúde, Socorro Bandeira.

Também participaram da inauguração a diretora do Departamento de Atenção à Saúde, Marlene Reis, a diretora do CAPS do Grão Pará, Nathércia Barros, a diretora do CAPS Amazônia, Benedita Amélia, entre outros.

Carla Fischer
Secretaria de Estado de Saúde Publica
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s